menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Polícia Civil prende homem que matou idosa no Jardim Chapadão

Crime aconteceu em 11 de março, mas corpo só foi encontrado no dia seguinte

Band Mais

10h04 - 25/03/2020

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O Setor de Homicídios e Proteção a Pessoa de Campinas prendeu na noite de ontem (24) o homem suspeito de ter matado uma idosa de 75 anos dentro da casa dela, na Avenida João Erbolato, no Jardim Chapadão.

O crime foi descoberto no dia 12 de março, quando vizinhos de Olga Sumiê Utino perceberam que a casa estava toda aberta e revirada – algo que não era comum. O corpo dela estava no jardim, com um ferimento de faca no pescoço.

Olga Sumiê foi morta dentro de casa

Após avaliar as imagens de câmeras de segurança, o SHPP descobriu que, no dia 11 de março, às 7h58, um homem saiu da casa de Olga. Ele era jardineiro. De acordo com vizinhos ouvidos pelo delegado Rui Pegolo, ele trabalhava fazendo serviços de limpezas de calçada para moradores da região.

E fez um serviço para Olga. Foi a partir daí que a Polícia começou a fechar o cerco. Uma pegada de uma bota também foi determinante para descobrir quem foi o autor. Um mandado de prisão temporária foi expedido pela Justiça, e os policiais localizaram Jean Michel dos Reis.

Ele foi levado à sede do SHPP e confessou ter cometido o crime.

À equipe de investigação, o jardineiro disse que havia feito um serviço para a idosa uma semana antes, e recebido R$ 150 por isso. Como eles acertaram um retorno e teria ouvido uma conversa dela ao telefone dizendo que tinha dinheiro para pagar um eletricista, ele contou que planejou um furto.

No dia 11 de março, então, o suspeito disse que realizava o serviço quando aproveitou para pular uma janela para furtar. Nesse momento, no entanto, a vítima flagrou a ação e começou a gritar.

Jean Michel, então jogou um vaso contra a idosa, que não caiu. Como ela continuava a gritar, ele pegou uma faca que utilizava no serviço e a golpeou na região do pescoço.

O homem levou um relógio, uma carteira com R$ 22 e uma medalha da residência. O relógio ele teria vendido por R$ 35. O dinheiro que havia na carteira ficou com ele – e se livrou do objeto na sequência.

O jardineiro foi preso por latrocínio, roubo seguido de morte. Ele já tinha passagem na polícia por tráfico de drogas.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

relacionadas

publicidade
publicidade
publicidade