menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Após esgotamento, Campinas terá 32 novos leitos de UTI e 89 de retaguarda

Medida é tomada após todos os leitos dos hospitais da prefeitura estarem com pacientes

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

10h46 - 11/06/2020

Atualizado há 28 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), anunciou nesta quinta-feira (11/06) a contratação de 32 novos leitos exclusivos de UTI para pacientes covid-19 e 89 leitos de retaguarda em hospitais privados para uso de pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde).

O anúncio se dá um dia depois do esgotamento de todos os leitos de UTI nos hospitais da prefeitura. Ontem, todos os 119 leitos dos hospitais Ouro Verde e Mário Gatti estavam ocupados com pacientes. Estavam livres apenas quatro leitos da rede estadual, que reúne o HC da Unicamp e AME (Ambulatório Médico de Especialidades). Segundo o prefeito, os pacientes internados no AME, por exemplo, são de pessoas que moram em cidades próximas a Campinas.

Leitos

Segundo o secretário de Saúde, Carmino de Souza, os 32 leitos de UTI foram comprados nos seguintes hospitais: Beneficência Portuguesa (7), Hospital Metropolitano (15) e Santa Casa (10).

Já os de retaguarda estão distribuídos nos seguintes hospitais: Beneficência Portuguesa (6), Hospital Metropolitano (28), Hospital de Campanha (30), Casa de Saúde (12) e Santa Casa (13).

Cada leito de UTI custa R$ 2,5 mil por dia e os de retaguarda custa R$ 900,00 por dia.

Segundo Carmino, a média de permanência em leitos de UTI tem sido de 20 dias e os de retaguarda são de três dias.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 
publicidade
publicidade
publicidade