menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Prefeitura intensifica abordagem aos refugiados indígenas venezuelanos

Grupo chegou em Campinas no sábado

Blog da Rose

08h10 - 12/03/2020

Atualizado há 8 meses

Compartilhe whatsapp facebook linkedin



A Prefeitura de Campinas intensificou nesta quarta-feira (11/03) a abordagem aos 42 refugiados indígenas venezuelanos que chegaram no último sábado (07/03), em Campinas. O grupo, da etnia waraos, está no centro da cidade e não aceita ir para abrigos.

O objetivo, segundo Fábio Custódio, diretor da Secretaria de Assistência Social, é convencê-los a aderirem ao serviços sócio-assistências como abrigos, por exemplo; serviços de saúde e impedir que eles coloquem crianças e adolescentes para pedir esmolas nos semáforos.

A abordagem está sendo feito pelas equipes do SOS RUA, Consultório de Rua e Movimento Vida Melhor.

Além disso, dois representantes da comunidade venezuelana que mora em Campinas vai intermediar conversas com os waraos devido à proximidade cultural entre eles.

A maior resistência do grupo é ir a um abrigo. Pelo serviço social, as pessoas são separadas por sexo. Segundo Custódio, há experiências com refugiados em que eles ficam em espaços abrigados por barracas. “Por enquanto não (ir para abrigos). Nem o nosso, nem outras opções já oferecidas. Uma organização já tentou convencê-los a ir para um abrigo comunitário, que estava vazio, e também não aceitaram”, explicou Custódio.

Por enquanto, o grupo está dormindo num hotel próximo à rodoviária. Pagam os quartos com o dinheiro que recebem de doação dos moradores.

Grupo de 42 índios chegou em Campinas no último sábado

E a grande preocupação da prefeitura é justamente impedir que crianças e adolescentes sejam usados na mendicância. O Conselho Tutelar está atento para que esse grupo não esteja exposto à situação de risco. Para isso, eles trabalham com o convencimento junto aos pais e responsáveis para garantir a segurança destas crianças.

Rede de apoio

A prefeitura tem buscado incluir o maior número de apoiadores para tentar resolver o que é considerado uma questão humanitária. Desde ontem foram feitas duas reuniões com representantes de várias secretarias da Prefeitura de Campinas, Conselho Tutelar e organizações que atuam com abrigamento de refugiados venezuelanos e OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

Um encontro também deverá ocorrer com representantes da Vara da Infância e Juventude e Ministério Público.



0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 

relacionadas

publicidade
publicidade
publicidade