menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe

Prefeitura de Campinas

Blog da Rose

Prefeitura suspende reabertura do comércio e de igrejas a partir de segunda-feira

Cidade registrou 75 mortes e 1.614 casos confirmados da doença

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

11h22 - 30/05/2020

Atualizado há 3 meses

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), anunciou neste sábado (30/05) que vai suspender a reabertura do comércio e de igrejas prevista para segunda-feira (1º de junho). Ele também disse que vai postergar a decisão por uma semana. O motivo é a pressão sobre leitos de UTI e dificuldade na contratação de profissionais de Saúde. A preocupação é garantir acesso da população ao sistema de saúde.

Na quinta-feira a ocupação dos leitos de UTI estava em 90% no SUS. Tinham apenas seis leitos vagos nas redes municipal e estadual. “Isso faz com que fiquemos muito vulneráveis”, disse o secretário de Saúde, Carmino de Sousa.

O prefeito disse que muitos dos pacientes com covid-19 internados nos leios de UTI são de outras cidades da região. Ele conversou com o governador João Doria (PSDB) para pedir a ampliação de leitos nas unidades do Estado.

A prefeitura fez um planejamento de expansão de leitos de UTI na cidade. Na próxima segunda serão disponibilizados 10 novos leitos, chegando a 30 no Hospital Mário Gatti. A Casa de Saúde vai disponibilizar cinco leitos. O Hospital Samaritano irá oferecer 3 leitos. O Hospital da PUC-Campinas serão mais 13 leitos.

Na rede estadual serão 28 novos leitos a partir da segunda semana de junho. Serão 10 leitos no AME (Ambulatório Médico de Especialidades) e 18 no HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp.

O motivo principal de postergar por uma semana é não assistir pessoas que precisem de atendimento e não conseguem. A programação de ampliação dos leitos de UTI está apertada para ocorrer na segunda-feira. O nosso problema é por profissionais de saúde

Jonas Donizette (PSB), prefeito de Campinas

Em relação à dificuldade de contratação de profissionais de Saúde, o prefeito explicou que dos 42 médicos intensivistas que seriam contratados para trabalhar na UTI do Mário Gatti, apenas 30 se inscreveram e alguns desistiram. Esses profissionais iriam receber R$ 4,6 mil por dia trabalhado. “Devido à demanda (por profissionais), o valor do plantão aumentou e a concorrência ficou mais acirrada”, disse o secretário de Saúde.

Com isso, o prefeito publica um decreto na próxima segunda-feira estendendo a quarentena até o próximo dia 7 de junho.

Covid-19

Campinas tem hoje 73 mortes e 1.70 casos por covid-19.



6 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 
publicidade
publicidade
publicidade