menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Profissionais de salão de beleza e bares protestam contra fechamento do comércio

Ato teve a participação de trabalhadores dos setores de hotelaria, bares e beleza

Rose Guglielminetti

11h55 - 23/07/2020

Atualizado há 5 meses

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Um grupo de trabalhadores dos setores de bares, restaurantes, hotelaria e salão de beleza protestou na manhã desta quinta-feira (23/07) em frente à Prefeitura de Campinas, reivindicando a liberação do funcionamento de suas atividades.

Protesto pela reabertura do comércio

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), está com esperança que a partir de amanhã a cidade saia da fase vermelha (mais restritiva) e vá para a fase laranja – que permite a reabertura do comércio de rua e de shopping. Porém, os setores de alimentação e de beleza só podem voltar a funcionar na fase amarela.

Trabalhadors pedem reabertura do comércio/Divulgação

O ato, que começou às 9h, foi Sinhotel (Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro e Similares) e teve apoio de outras entidades sindicais como a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), da ABSB (Associação Brasileira de Salões de Beleza).

Ato foi feito em frente à Prefeitura de Campinas

Com faixas, os trabalhadores pediram a retomada responsável das atividades. “Não temos ajuda do governo e precisamos trabalhar para sobreviver”, disse Márcia Cia, que representa o setor de beleza. Neste setor a estimativa é de que 3 mil pessoas perderam o emprego e muitos proprietários de salões de beleza não sabem se irão conseguir reabrir o negócio.

Trabalhadores usaram cartazes para chamar atenção do prefeito de Campinas Jonas Donizette

Já no setor hoteleiro, o número de demissões é maior: 24 mil.

Segundo eles, os setores têm protocolocos de saúde para garantir um atendimento seguro para os clientes.

Outro lado

Em nota a Prefeitura de Campinas informou que tanto o prefeito quanto a secretária de Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo, Alexandra Capriolli, têm feito reuniões constantes com legítimos representantes do setor de restaurantes, bares e hotéis, buscando solução para o problema, que, todos sabem, dependem de condições sanitárias e decisões técnicas que vem sendo tomadas pelo Governo do Estado e respaldadas pela Justiça.

Informou ainda que a prioridade é salvar vidas.

A nota também criticou, sem citar nomes, o uso político da manifestação. “Lamenta a utilização política por vereador de oposição de um momento tão crítico em que uma gravíssima pandemia atinge o mundo todo, provocando centenas de milhares de mortes”. O verador da oposição é Nelson Hossri, que tem defendido a reabertura do comércio.


1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 
  • Rose Prudente disse:

    Concordamos com salvar vidas,por isso estamos preparados para voltar com segurança. Mas o que mais nos revolta é que so salões grandes na região do Cambui, nova campimas por ex. são fiscalizados,enquanto que nos bairros como dic,são domigos,ouro verde estão todos abertos.A injustiça é revoltante.

publicidade
publicidade
publicidade
Mais notícias