menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Promotora agora quer a cassação da chapa completa de Dário por compra de votos

O político, que é médico, atendeu gratuitamente a população no dia 26 de setembro

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

19h14 - 05/11/2020

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Um dia depois de pedir a cassação do registro da candidatura de Dário Saadi (Republicanos) à Prefeitura de Campinas por suposta compra de votos, a promotora eleitoral Simone Rodrigues Horta Gomes protocolou nesta quinta-feira (05/11) ampliou o escopo de seu pedido e quer a cassação da chapa inteira que inclui o registro do vice-prefeito Wanderley Almeida (PSB) e a coligação formada por DEM, MDB, Republicanos, PSL e PSL.

O pedido baseia-se na denúncia de que o Dário, que é medico, participou no último dia 26/09 de um evento, no qual ofereceu consultas médicas gratuitas no condomínio Residencial Ouro Verde , localizado no Parque Universitário, no distrito do Ouro Verde.

“Por se tratar de uma relação jurídica subordinada, o mandato do vice-prefeito será alcançado em caso de cassação do diploma do prefeito de sua chapa, devendo, por essa razão, ambos serem chamados a integrar a lide dentro do prazo para propositura da ação”, escreveu a promotora.

Segundo ela, houve dolo e o foco na eleição foi constatado pelo contexto, como a fila de pessoas em busca da gratuidade, anúncio em rede social, apresentação como atividade de campanha, aglomeração de pessoas.

“Não há que se falar em prestação de serviço regular do representado, visto que, das mídias acostadas aos autos, observa-se que os cidadãos estavam se direcionando ao local para realizarem os referidos exames justamente em razão de sua gratuidade”, escreveu a promotora no pedido.

Outro lado

O advogado Marcelo Pelegrini disse que a campanha ainda não foi intimada. Quando isto ocorrer, irá apresentar a defesa.

Ele disse que a Promotoria não ouviu a parte contrária. “Ofende princípios básicos do Direito, como a isenção e a paridade de armas. Ao repetir os equívocos revelados, há pouco mais de uma semana, no vazamento ilegal da ação, a promotoria demonstra claro viés político partidário.”

Informou ainda que há quase 20 anos, Dário realiza gratuitamente uma avaliação médica dos moradores do Residencial Ouro Verde. “Ela faz parte do seu compromisso de médico e independe de eleições ou de cargos que ele tenha ocupado. Apenas o desespero de adversários pode explicar a transformação desse fato em causa eleitoral”, diz a nota.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 
publicidade
publicidade
publicidade