menu 25-anos
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Promotoria cobra de presidentes do Guarani e Ponte medidas contra aglomerações no dérbi

Cristiane Hillal adverte que omissão ou ação podem acarretar em responsabilização civil e/ou criminal

Band Mais

17h54 - 16/03/2020

Atualizado há 15 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A promotora de Justiça Cristiane Hillal Corrêa Hillal solicitou aos presidentes do Guarani e da Ponte Preta que orientem os torcedores dos seus times a não saírem de casa hoje, conforme foi orientado pelas autoridades sanitárias e de saúde, para que se evite aglomerações na tentativa de conter a propagação do novo coronavírus. A solicitação tem relação com o dérbi 196 que se realiza a partir das 20h, no Brinco de Ouro.

No ofício, a promotora adverte os presidentes dos clubes de que qualquer ação ou omissão para evitar a aglomeração que preocupa autoridades de segurança e de saúde, em virtude do risco, pode acarretar em responsabilização civil e/ou criminal.

A Federação Paulista de Futebol confirmou a realização da partida nessa segunda-feira (16) de manhã, encerrando a 10ª rodada do Paulistão 2020. Esse jogo é o último do Campeonato Paulista antes da paralisação por causa da pandemia de coronavírus. Na sexta-feira (13), a Secretaria de Saúde de Campinas já havia decidido que o jogo seria com os portões fechados, sem torcedores, por causa do risco de contaminação.

No entanto, a medida adotada pela Prefeitura de Campinas não agradou o presidente do Guarani, Ricardo Moisés. Cerca de 9 mil ingressos já haviam sido vendidos. Moisés chegou a dizer que a proibição da presença de torcedores teria sido influenciada por diretores da Ponte Preta. Para compensar os portões fechados, a torcida do Guarani anunciou que disponibilizaria um telão para a transmissão do dérbi. O equipamento seria instalado na rua Roberto Gomes Pedrosa, próximo da entrada do Brinco. Instigados, torcedores do Bugre, pelas redes sociais, se organizam para ir para frente ao estádio no horário do jogo.

No entanto, Ricardo Moisés, reconheceu que devido ao risco de disseminação do coronavírus a decisão de fazer o jogo com portões fechados foi a mais acertada.

Em resposta ao ofício da promotora, o Guarani limitou-se a reproduzir o documento em seu site e redes sociais, sem qualquer posicionamento do presidente Ricardo Moisés. Já a Ponte Preta recomendou à torcida para evitar aglomerações: “Nação pontepretana, atenção para os cuidados necessários contra a proliferação do novo coronavírus! ⚠ Vamos evitar aglomerações e fazer a nossa parte. #JogamosJuntos sempre, com responsabilidade”.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade