menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe

Ações de combate à Hanseníase ocorrem durante o Janeiro Roxo

O tratamento é realizado por 12 meses

Band Paulista

09h43 - 06/01/2022

Atualizado há 18 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O mês de janeiro também é lembrado pela cor roxa, escolhida para alertar sobre a Campanha de Combate à Hanseníase. A Prefeitura de Prudente oferece tratamento gratuito por meio do Centro Municipal de Especialidades, onde funciona o Ambulatório Hanseníase. Para alertar sobre os cuidados e diagnóstico da doença, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) realizará ações alusivas ao tema, que estão sendo preparadas para ocorrer no decorrer do mês.

Uma das propostas são palestras ministradas pela equipe de saúde, explicando sobre a doença, além da sensibilização e da busca ativa destes pacientes nas Unidades Básicas de Saúde, que devem ser intensificadas neste mês. As informações são importantes para o diagnóstico da doença.

No momento, há três pacientes com diagnóstico positivo em tratamento no Ambulatório Hanseníase, iniciados em 2021. Geralmente, o tempo de tratamento é de 12 meses. No ano de 2020, foram registradas nove pessoas em tratamento pela Hanseníase.

“As pessoas se apresentarem qualquer sinal de suspeita, como manchas na pele, devem procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS). O tratamento é gratuito, incluindo exames e medicação, oferecidos Centro Municipal de Especialidades, (próximo ao HR)”, explica a Enfermeira responsável pelo Ambulatório Hanseníase, Vivian Aparecida De La Viuda Teixeira Capelari.

Conforme a enfermeira responsável, a Hanseníase é uma doença que tem cura, causada pelo bacilo de Hansen. A transmissão é feita pelas vias aéreas, fala, tosse e espirro, geralmente pela convivência com pacientes, que não realizam o tratamento. 

Segundo ela, o tratamento é realizado por 12 meses, mas, após um mês de iniciado, o paciente deixa de transmitir a doença, porém é importante seguir até a conclusão do tratamento do período prescrito pelo médico.

A enfermeira ressalta que “existem quatro formas da doença, sendo duas delas transmissíveis. Os primeiros sinais da doença são manchas na pele, que não coçam e não doem, geralmente são manchas com quedas de pelo, onde as pessoas podem queimar ou cortar neste local e não sentir dor nenhuma”, detalha.

Serviço: O Ambulatório Hanseníase fica no Centro Municipal de Especialidades na Avenida Hiroshi Yoshio S/N, no Jardim Esplanada. Ao lado do Hospital Regional. Mais informações através do telefone (18) 3229-1285.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade