menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe

foto: cedida

Notícias

PC coloca em prática segunda fase da Operação Nêmesis

O trabalho é feito em quatro estados

Band Paulista

12h47 - 02/09/2021

Atualizado há 20 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A Polícia Civil de São Paulo colocou em prática nesta quinta-feira (2), a segunda fase da operação interestadual chamada de Nêmesis, que visa concluir a desarticulação de organização criminosa voltada à prática de furtos de cargas e falsas comunicações de crime. De acordo com a polícia, os criminosos são responsáveis por um prejuízo estimado em mais de R$ 100 milhões.

A operação foi realizada em pelo menos quatro estados (foto: cedida)

Nesta segunda etapa da investigação, desencadeada pelo 01º D.P. de Rosana/SP e Primavera/SP, foram realizadas diligências visando o cumprimento de seis mandados de prisão preventiva, cinco deles expedidos pela Comarca de Rosana/SP.

As ações policiais foram desenvolvidas nos estados do Pará, Minas Gerais, Pernambuco e Rio de Janeiro. Essas prisões foram decretadas pelo Poder Judiciário após a conclusão das investigações, oportunidade em que a Polícia Civil ofertou nova representação ao Poder Judiciário.

Relembrando o caso:

No dia 23 de junho deste ano, a Polícia Civil de São Paulo desarticulou grupo criminoso de desvio de cargas em todo o Brasil. Motoristas eram cooptados e, após carregaram legitimamente cargas de natureza variada, em específico de soja e ferragens em geral, desviavam essas cargas, entregando-as aos receptadores.

Em seguida, compareciam em Distritos Policiais e Delegacias de Polícia, principalmente em São Paulo, onde noticiavam, falsamente, ocorrência de roubo, a maioria das vezes retratando “cárcere” por horas ou dia.

Durante as investigações, analisando os relatos dos noticiantes – na verdade furtadores da carga -, a Polícia Civil conseguiu desconstruir seus relatos empregando meios de investigação tecnológica.

A organização criminosa, composta por indivíduos em sua maioria provenientes dos estados de Minas Gerais e Goiás, atuava com mais predominância no estado de São Paulo, onde através de seus integrantes procediam aos falsos registros.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade