publicidade
publicidade
Compartilhe

PT pede para que bancada vote contra reajuste do salário do prefeito de Campinas

Reajuste vai provocar um efeito cascata de aumento nos salários de servidores e aposentados

Blog da Rose

16h47 - 02/10/2019

Atualizado há 1 ano

Compartilhe whatsapp facebook linkedin



O PT de Campinas determinou à sua bancada na Câmara de Vereadores de Campinas que vote contrária ao reajuste nos salários do prefeito, vice-prefeito e secretários e também contra o aumento no número de vereadores.

A Câmara vai votar hoje (02/10) aumento no salário do prefeito que vai elevar de R$ 23.894,65 para R$ 24.965,00 – um aumento de R$ 1.070 no contracheque. O salário do vice-prefeito, Henrique Magalhães (PSB), vai de R$ 17,9 mil para 18,7 mil. O reajuste vai provocar um efeito cascata nos salários dos servidores tanto da ativa quanto no dos aposentados. Entre os que estão trabalhando há uma estimativa de que 150 servidores terão o teto ampliado. O Camprev – Instituto dos Servidores Municipais – está fazendo um levantamento para saber a quantidade de aposentados que terão aumento no salário.

Na nota oficial, o partido diz que o governo municipal deve melhorar a qualidade dos serviços públicos e valorizar os servidores municipais.

A Câmara irá votar o projeto porque a Justiça determinou que o reajuste dado aos servidores deve ser aprovado anualmente pela Câmara e não apenas indexado, de forma automática, como estava sendo feito nos anos anteriores.

Aumento vereadores

O partido também se posicionou contra a ampliação no número de cadeiras de 33 para 35 parlamentares para a próxima Legislatura. No mês passado, censo do IBGE apontou que Campinas chegou a 1,2 milhão de habitantes. Com isso, a cidade pode ter entre 21 e 35 vereadores. “Ao invés de aumentar o número de vereadores, tanto a Câmara quanto o Executivo, deveriam fortalecer a participação popular, dando mais condições aos conselhos e aumentando a capacidade de participação da população nas decisões do governo”, diz a nota.




0 Comentário

publicidade
publicidade