menu 25-anos
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

PV vai expulsar vereador Permínio por infidelidade partidária

Vereador fez uma reunião com a presença do deputado estadual Rafa Zimbaldi, pré-candidato a prefeito de outro partido

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

12h05 - 29/01/2020

Compartilhe whatsapp facebook linkedin



O PV de Campinas decidiu ontem que vai expulsar o vereador Permínio Monteiro por infidelidade partidária. Segundo o presidente da legenda, Rogério Menezes, que é secretário do Verde de Campinas, a decisão foi da Comissão de Ética do PV e teve 3 votos a zero.

O parlamentar sofreu processo por ter organizado em outubro do ano passado uma reunião no Jardim Nova Europa em que estava presente o deputado estadual Rafa Zimbaldi, pré-candidato a prefeito pelo PSB. No encontro, Rafa teria sido aclamado prefeito de Campinas. No entendimento da direção do PV, o apoio deve ser dado a Menezes, que é pré-candidato a prefeito.

Tribunal de exceção

Permínio diz que houve um tribunal de exceção e que o presidente do PV é um “ditador”. Ele disse que o relator, Marcos Boni, abandonou a votação e não leu o relatório. “Tinha que ter um substituto. E o presidente assumiu o lugar do Boni. Essa decisão já estava acordada e combinada”, disse Permínio.

O parlamentar nega qualquer infidelidade. “A minha punição é porque consegui uma emenda de 100 mil para uma creche e fiz uma prestação de contas junto com o deputado. Ninguém é candidato a prefeito. E se o Rafa não sair candidato?. Estou sendo punido por trabalhar para a população de Campinas”, questionou o parlamentar.

Permínio disse que vai recorrer da decisão na executivas Estadual e Nacional. “Se necessário for, entrarei na Justiça Eleitoral para pedir a nulidade deste processo porque não houve nenhuma democracia. Ele (Rogério Menezes) é cacique do partido. Ele amordaça a fala das pessoas de forma democrática”, disse o parlamentar.

Menezes disse que se for confirmada a decisão pela expulsão na Comissão de Ética da Executiva Estadual, “o PV Campinas poderá pleitear na Justiça Eleitoral o mandato, conforme jurisprudência”.



0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade