menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Quais alimentos melhoram nossa imunidade?

Nutricionista pede atenção ao modo de preparo dos alimentos

Band Mais

08h25 - 11/04/2020

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Cuidar da alimentação é algo que não pode ser esquecido nesse período de quarentena.

A nutricionista clínica e fitoterápica Tais Cristina Pereira de Oliveira afirma que a alimentação equilibrada é fundamental para o controle do nosso metabolismo, inclusive da imunidade. “Ela é o combustível para o nosso corpo. Quando nosso sistema imunológico está bom, ele tem condições de combater os vírus e as infecções por exemplo”, explica.

Mas, quais alimentos ajudam a melhorar a imunidade? “Não devemos eleger um alimento herói e sim evitar os alimentos ultraprocessados, ricos em gordura trans, bolachas, embutidos. Devemos dar preferência para frutas frescas – duas a três porções ao dia – abusar de legumes e verduras, ingerir um carboidrato, que nos de energia, em forma de tubérculos como mandioca, batata, mandioquinha, cará e escolher uma proteína de origem animal magra, como peito de frango, patinho, sardinha ou ovos”, diz.

A nutricionista pede atenção ao modo de preparo dos alimentos. “Tomar cuidado com a maneira de preparar, sempre grelhado, assado, cozido ou ensopado. Se possível associar uma proteína vegetal, que são fundamentais para a saciedade, o que auxilia no ganho de massa magra e rica em triptofano que reduz inclusive a ansiedade”, complementa.

Disciplina quanto às refeições

A disciplina é fundamental nesse período que estamos mais em casa, garante Tais. “Porém, devemos lembrar que a nossa atividade física está reduzida, então a nossa ingestão calórica deve ser menor, estamos saindo menos, gastando menos energia. As refeições devem ser com os alimentos frescos, magros e, principalmente, respeitar a quantidade necessário de cada indivíduo”, comenta a nutricionista.

Como evitar abusos já que estamos em casa?

“O principal é não comprar doces, bebidas alcoólicas e evitar preparações ricas em açúcar e gordura”, diz Tais.  “Se não tem, não come! Uma vez disponível na dispensa, a possibilidade de sair do nosso controle é maior”, dá a dica.  Ela lembra ainda que as bebidas alcoólicas são extremamente calóricas, além de tóxicas para o fígado e os refrigerantes são muito açucarados, pré-dispondo à obesidade e o difícil controle glicêmico.

De acordo com ela, agora é hora de mudança de atitudes. “Aproveitar esse período para virar a chave, estamos em casa, vamos caprichar na salada, temperar um frango com antecedência para ficar mais saboroso, preparar refogados para acompanhar as refeições, caprichar no café da manhã com frutas e fibras”. 

Cida Haddad/ Eko Digital

2 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade