menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe

Carlos Reinis | Band

Entretenimento

Renato vence prova no MasterChef e Jacquin elogia: “Finalmente um prato inteligente”

Participante preparou fettuccine de palmito com bisque de camarão no 3º episódio, que foi ao ar nesta quarta-feira, 21

MasterChef, Band Mais

04h43 - 22/07/2021

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Ser destaque na primeira prova do MasterChef é o objetivo dos participantes a cada novo episódio. E depois de Isabella e Daphne nas últimas semanas, foi a vez de Renato vencer o principal desafio da noite nesta quarta-feira, 21. Ao se deparar com a clássica Caixa Misteriosa, com conteúdo surpresa, o engenheiro ambiental fez um fettuccine de palmito com bisque de camarão, e conquistou o paladar dos jurados.

Para Jacquin, o diferencial do cozinheiro foi saber trabalhar com o que tinha em mãos. “Finalmente, um prato inteligente, bom, saboroso e bem temperado”, apontou o chef.

Helena Rizzo e Henrique Fogaça concordaram e aprovaram a receita preparada pelo paulista. “Seu prato tá suculento. Achei que fez uma boa escolha de receita. Tá saboroso, leve, a gente sabe o sabor de cada ingrediente”, afirmou a chef do Maní. Já para Fogaça, o ponto alto foi o planejamento: “Isso é o que a gente espera de todos”.

O participante de Pindamonhangaba, no interior de São Paulo, já competiu em um episódio do MasterChef na edição de 2020 e agora, na segunda chance, encara as palavras depois da degustação como um voto de confiança de que está indo pelo caminho certo no jogo.

“Parece que eu estava flutuando. Foi bom demais. Eu queria ganhar uma prova, mas sou um pouco contido nas emoções. Até pensei antes que se eu ganhasse, iria extravasar,  mas na hora me segurei. Fiquei pensando como vai ser lá fora, como vai ser a turma lá fora”, comemorou o participante ao falar da sua família, principalmente do filho mais velho, Benjamin, de 8 anos, para quem fez uma promessa de que voltaria à cozinha do programa.

Ele conta que pensou no pior ao ver a Caixa Misteriosa, mas que todos os ingredientes que precisava para executar o prato estavam ali. Ainda assim, o segredo para ter ido bem, além de saber a receita, foi o psicológico. “O pessoal tá esquecendo da cabeça. Coração e cabeça estão no meu controle antes de pisar na bancada. E isso, para você que tá num jogo, já é meio caminho andado”, diz.

Depois de ser destaque na prova, ele explica que tem uma tática para as próximas semanas: “A partir de hoje, a primeira prova, para mim, sempre vai ser para arriscar e ganhar. A segunda vai ser para voltar à zona de conforto e jogar de uma maneira mais segura”. Vai que vai, Renato!

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade
Mais notícias