menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe

Divulgação: Prefeitura de Rio Preto

Notícias

Após incêndio, antigo IPA receberá 85 mil árvores

A assinatura do contrato acontecerá amanhã às 16h30 na sede do SEMAE

Band Paulista

18h00 - 04/05/2021

Atualizado há 12 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O Comitê da Bacia Hidrográfica dos Rios Turvo e Grande (CBH-TG), por meio do Fundo Estadual de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo (FEHIDRO), viabilizou importantes contratos para avançar no reflorestamento das áreas de nascentes da Bacia Hidrográfica dos Rios Turvo e Grande.  

As ações são do projeto pioneiro de Identificação e Priorização de Áreas de Mananciais para Preservação dos Recursos Hídricos na região. Dentre elas, a restauração da área de preservação permanente da Estação Ecológica do Noroeste Paulista, área do antigo Instituto Penal Agrícola (IPA), localizada entre São José do Rio Preto e Mirassol.

“Vale destacar a importância da execução desse projeto em nossa Bacia, que contempla a restauração ecológica em uma importante Unidade de Conservação do Estado, a Estação Ecológica do Noroeste Paulista (EENP), afetada gravemente por incêndios, e que servirá de modelo para a continuidade do nosso trabalho na Bacia do Turvo/Grande”, afirma o Secretário Executivo do CBH-TG, Gustavo Antônio Silva.

O empreendimento indicado pelo CBH-TG conta com o investimento de R$1.403.595,97 milhão e será desenvolvido por empresa a ser contratada pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Rio Preto (SEMAE), por meio de processo licitatório. O objetivo é recuperar as áreas atingidas pelos incêndios em 2020, com ações de recuperação do solo e o plantio de 85 mil mudas de espécies nativas.

“O plantio fará com que a autarquia fique com ativos ambientais, que serão capitalizados e amortizados. A Floresta do antigo IPA tangencia o córrego Piedade, que pertence à microbacia do Rio Preto. Plantar árvore é plantar água. Portanto, o plantio de 85 mil mudas na floresta irá contribuir para aumentar a vazão do Rio Preto, que recebe a água tratada da ETE – Estação de Tratamento de Esgoto, com 95% de pureza. Essa vazão ajudará a depurar o esgoto residual que é lançado pela estação no Rio Preto, garantido a manutenção da vida naquele curso de água.”, explica o Superintendente do SEMAE, Nicanor Batista Júnior.

Além da recuperação da EENP, outros projetos para reflorestamento de matas e florestas na região da Bacia Hidrográfica são temas prioritários para o trabalho do comitê durante os próximos anos.  

Dentre os empreendimentos já aprovados e indicados pelo CBH-TG, está o projeto de reflorestamento e semeadura direta nos municípios de Olímpia e Nova Granada, que possui o maior investimento da região, no valor de R$ R$2.078.655,31 milhões, e será realizado pelo Centro de Estudos Agroambientais de Pindorama (CAPIN).

Outro projeto é o de remoção, desaguamento e acondicionamento de lodo das lagoas de estabilização das estações de tratamento de esgoto do município de Cajobi e do Distrito de Monte Verde Paulista, com investimento de R$441.588,16.

A execução dos projetos é iniciada após a assinatura do contrato e a liberação da primeira parcela aprovada pelo Agente Técnico.

A assinatura do contrato de “Restauração de Áreas de Preservação Permanente da Estação Ecológica do Noroeste Paulista e Entorno”, acontecerá amanhã às 16h30, no auditório Abediel Correia, localizado na sede do SEMAE.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade