menu 25-anos
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Smart Speaker Alexa, vira ‘testemunha’ de assassinato nos EUA

Alexa é a assistente virtual mais vendida do mundo.

Educadora FM

16h22 - 06/11/2019

Atualizado há 4 meses

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Dispositivo da Amazon, Alexa, pode ser peça chave na resolução de um caso de homicídio nos EUA.

Na Flórida uma mulher chamada Silvia Galva foi encontrada morta, com uma lança cravada no peito. Segundo policiais, a smart speaker da Amazon, pode conter informações que levem à solução deste crime.

Esses aparelhos inteligentes registram “palavras chaves” nas quais os usuários podem fazer pesquisas sobre assuntos cotidianos como clima e cotação do dólar, por exemplo. O que nesse caso em questão, a assistente virtual pode ter gravado uma briga entre Silvia e seu namorado.

O principal suspeito, um indivíduo chamado, Adam Crespo, confirma ter tido uma discussão com a namorada momentos antes dela morte, em Julho desse ano.

“Recebemos gravações e estamos analisando as informações”, disse o sargento Pedro Abut, porta-voz do Departamento de Polícia de Hallandale Beach.

O representante da Amazon, Leigh Nakanishi, declarou que os dispositivos Echo registram apenas pequenos comandos e que não tem acesso à conversas privadas dos usuários.

“Por padrão, os dispositivos Echo são projetados para detectar apenas a palavra escolhida”, disse Nakanishi. “Somente depois que a palavra de despertar é pronunciada que o dispositivo começa a ouvir e gravar. Nenhum áudio é armazenado ou enviado para a nuvem, a menos que o dispositivo detecte a palavra de ativação”, completou.

As smart speakers, vem equipadas com um botão “mudo”, isso faz com que o aparelho fique totalmente impossibilitado de gravar ações e comandos de ativação quando acionado. Nakanishi, no entanto, garante que as informações de usuários são sigilosas e não são divulgadas pela empresa Amazon, a não ser que exista alguma obrigação legalmente válida.

A Amazon entregou alguns áudios de gravações, mas nem a empresa, nem a polícia divulgaram mais informações sobre o conteúdo das mesmas.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

relacionadas

publicidade
publicidade
publicidade