menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe

Divulgação/Prefeitura de Sorocaba

Notícias

Sorocaba registra momento epidêmico da dengue

O "Dia D" de combate ao mosquito será no próximo dia 8

Band Mais

17h28 - 03/02/2020

Atualizado há 2 meses

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A cidade de Sorocaba vive um momento epidêmico da dengue, após registrar 104 casos da doença neste ano. Dados foram divulgados durante coletiva de imprensa, na manhã desta segunda-feira (3/02), na qual estavam o secretário municipal da Saúde, Ademir Watanabe; a médica infectologista e coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Priscila Helena dos Santos e a chefe da Divisão de Zoonoses, Thais Buti.

Segundo Boletim Epidemiológico, além dos 104 casos de dengue confirmados (76 autóctones, 25 importados e 3 indeterminados), foram registrados dois casos de chikungunya. Não há casos de febre amarela e zika na cidade. 

Ainda, de acordo com as informações divulgadas, a concentração de casos ocorre na região do Jardim Rodrigo (Lopes de Oliveira, Jacutinga, Marcelo Augusto e Luciana Maria). O acúmulo dos casos também ocorre nos bairros Hortência e Simus.

A prefeitura, segundo informações da Secretaria de Comunicação e Eventos (Secom), já iniciou os preparativos para o ‘Dia D’ da dengue que será realizado no dia 8 de fevereiro. Neste dia também haverá visitas casa a casa e arrastão de criadouros nas áreas mais críticas da cidade.

Veneno

Outro dado divulgado pela Secom, é que, após oito meses sem receber o veneno do Ministério da Saúde, Sorocaba recebeu na última quinta-feira (30/01), 100 litros do inseticida Malathion. “A quantidade não é suficiente e por este motivo, estamos usando de forma estratégica nos locais mais críticos da cidade. A previsão é que semana que vem a região de Sorocaba receba mais 200 litros do veneno”, explica Thais.

De acordo com a prefeitura, até o dia 28 de janeiro, 35.110 imóveis da cidade foram visitados pela Zoonoses nas seis áreas do município (centro norte, centro sul, leste, noroeste, norte, sudoeste). Um total de 4.549 recipientes foram encontrados dentro dos imóveis visitados com água, portanto, estavam prontos para criar o mosquito.

Foram removidos até o momento 60 toneladas de criadouros na cidade. Destes, 584 recipientes estavam com larvas de mosquito, espalhados em 267 imóveis.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade