menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Trump avalia interromper voos domésticos para locais dos EUA mais afetados pelo novo coronavírus

Às 23h30 desta quarta-feira (1º), vítimas fatais nos Estados Unidos eram 5.116 e total de casos confirmados havia chegado a 215.417 em todo país

Agência Brasil, Band Mais

08h13 - 02/04/2020

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O presidente Donald Trump disse que está considerando um plano para interromper voos para locais nos Estados Unidos mais afetados pelo coronavírus, em uma batalha para conter uma pandemia prevista para matar pelo menos 100 mil pessoas no país.

“Certamente estamos analisando, mas uma vez que você faz isso, está realmente reprimindo uma indústria que é desesperadamente necessária”, afirmou. É possível que esse plano interrompa o tráfego nos aeroportos de Nova York, Nova Orleans e Detroit.

“Estamos olhando para a coisa toda”, disse ele sobre a restrição de voos domésticos já bastante reduzidos à medida que a demanda diminui.

Esta semana, Trump e os médicos que o aconselham disseram que entre 100 mil e 240 mil pessoas provavelmente morrerão de Covid-19 nos EUA nas próximas semanas, mesmo que os norte-americanos sigam rigorosamente as diretrizes para ficar em casa em abril.

Nessa quinta-feira, o número de mortos por Covid-19 nos Estados Unidos já é maior do que 5.000, segundo contagem realizada pela Universidade Johns Hopkins. Por volta das 23h35 (de Brasília) da última quarta, a quantidade de vítimas fatais estava em 5.116, enquanto o total de casos confirmados chegou a 215.417 em todo país.

O presidente disse que se reunirá com importantes executivos de empresas de petróleo dos EUA na sexta-feira (3) . Uma queda nos preços da gasolina, motivada pelo excesso global, tem pressionado as companhias petrolíferas.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade