menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Vereador quer que secretário explique envolvimento de assessor com negociação de kits da covid-19

Assessor da Prefeitura de Campinas foi demitido nesta quarta-feira

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

15h14 - 15/04/2020

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O vereador Pedro Tourinho (PT) protocolou nesta quarta-feira (15/04) um requerimento para convocar o secretário de Esportes e Lazer, Dário Saadi. Ele quer que Saadi esclareça as atividades desenvolvidas pelo ex-assessor Luiz Fernando Mariano Mateus, detido pela polícia na terça-feira (15/04) por suspeita de negociar a compra de 25 mil testes de covid-19. A policia investiga se o material negociado pertença à carga roubada do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

Fernandinho Mariano, que nega as acusações, foi demitido nesta quarta-feira. Ele trabalhava na Secretaria de Esportes há sete anos. Ele seria pré-candidato a vereador pelo PSB.

“A prefeitura precisa esclarecer para a Câmara Municipal e para a população o que essa suspeita de contrabando dos testes significa. Um funcionário público envolvido nesse tipo de caso é algo muito grave”, afirma Tourinho.

A base governista, no entanto, deve rejeitar o pedido do parlamentar.

O caso

O ex-assessor e outros três homens foram detidos no estacionamento de uma padaria de Campinas. A suspeita é que eles estariam negociando a compra dos kits. O grupo receberia 2% sobre a venda de cada exame, que seria comercializado por R$ 130,00. Eles prestaram depoimento na DIG (Delegacia de Investigações Gerais) e foram liberados hoje.

Outro lado

O ex-assessor, que nega qualquer irregularidade, disse, por meio de nota oficial, que foi convidado para participar de uma reunião, onde faria uma proposta de venda dos kits por uma empresa que faria uma negociação legal e lícita. Escreveu ainda que pediram a ele que indicasse uma pessoa da Secretaria de Saúde a esta empresa. Na nota, o ex-assessor afirma que a conclusão da investigação irá mostrar que nenhum ilícito foi cometido.



0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade