menu
facebook instagram
publicidade
noticias

Susto do shopping: carro desgovernado invade estacionamento

Band Mais

09h32 - 15/02/2021

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Ao vivo

Vídeos

Compartilhe

Charles Platiau/Reuters

Esporte

Judô do Brasil fecha Grand Slam de Kazan com 2 pratas e 3 bronzes

Rafael Silva Baby, acima dos 100 kg, foi vice-campeão nesta sexta (7)

Rafael Silva Baby, acima dos 100 kg, foi vice-campeão nesta sexta (7)

com informações da Agência Brasil, Esportes

18h03 - 07/05/2021

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O Brasil encerrou hoje (7) sua participação no Grand Slam de Judô de Kazan (Rússia), último do ciclo olímpico, com mais uma medalha de prata de Rafael Silva Baby (categoria acima de 100 quilos) e três bronzes dos atletas David Moura (+100 kg), Maria Suelen Altheman (+78 kg) e Beatriz Souza (+78 kg). A primeira prata foi conquistada ontem (6) pela meio-medio Ketleyn Quadros (63 kg), medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de 2008, em  Pequim (China).

Na disputa pelo ouro na final do peso pesado nesta sexta (7), Baby foi superado pelo russo Tamerlan Bashaev, e faturou a medalha de prata, somando mais 700 pontos no ranking mundial. O judoca luta para disputar a terceira olimpíada da carreira: Baby conquistou o bronze em Londres (2012) e na Rio 2016. Natural de Campo Grande (MS), o atleta compete diretamente com o matogrossense David Moura pela vaga olímpica na categoria acima de 100 kg. Moura levou o bronze nesta sexta (7), após vencer o russo Anton Krivobokov. O bronze vale 500 pontos no ranking.

O segundo bronze do dia veio com a paulista Maria Suelen Altheman (+78 kg), que derrotou a portorriquenha Melissa Mojica. Em fevereiro, Suelen já havia superado Mojica por ippon, no Grand Slam de Tel Aviv (Israel), vitória que também lhe valeu o bronze. A judoca paulista é forte candidata à classificação para Tóquio 2020 na categoria acima de 78 kg, assim como Beatriz Souza, que também ficou em terceiro lugar ao derrotar a Sonia Asselah, da Argélia.

A primeira a subir ao pódio no Grand Slam russo foi a judoca Ketleyn Quadros, natural de Ceilândia (DF), na categoria até 63 kg . Na decisão ontem (6) pela medalha de ouro, a meio-médio brasileira foi superada pela polonesa Agatha Ozdoba-Blach. Foi a segunda final consecutiva de Ketleyn no circuito mundial. A judoca somou mais 500 pontos e segue na briga pela vaga olímpica. Ketleyn foi bronze nos Jogos de Pequim (China), em 2008.

A última oportunidade de os judocas brasileiros somarem pontos para o ranking será o Mundial, no período de 6 a 13 de junho. Cada país pode levar no máximo um judoca por categoria de peso e em cada gênero (masculino e feminino). Confira AQUI as vagas olímpicas já confirmadas.